Psicologia

mid-shot-woman-therapist-taking-notes-in-clipboard.jpg

A Psicologia na abordagem Fenomenológica Existencial, considera o SER como responsável por si mesmo, pela sua construção, escolhas e consequências. Toda e qualquer terapia dentro desta perspectiva, pauta-se pelo “voltar às coisas mesmas”, ao fenômeno, buscando nele próprio seu existir e seu de-vir-a-ser.

O fenômeno não é explicado, mas sim descrito pelo cliente e a função do psicoterapeuta é utilizar-se da Epoché (suspensão do juízo de valor subjetivo), para se aproximar do fenômeno que aquele cliente descreve. Essa é a técnica mais importante da Fenomenologia Existencial, porque a suspensão do juízo implica em interromper temporariamente o fluxo de idéias prontas, que uma pessoa possui sobre determinado assunto. 

A Fenomenologia busca entender a vivência desses clientes no mundo em que existem e compreender como esses clientes percebem o mundo a sua volta. A abordagem da Clínica Fenomenológica Existencial é indicada para todos os tipos de público.

Gostaria de mais informações sobre o atendimento em Psicologia?

Preencha seus dados abaixo que entrarei em contato.

Obrigada pelo envio!

whatsapp terapia floral.png

Pós graduação em
Psicologia da Saúde

A Psicologia da Saúde é uma área muito importante e que as maiorias dos profissionais atuam em hospitais, clinicas e departamentos acadêmicos de universidades. 


Essa é uma área da Psicologia, que tem por objetivo compreender o comportamento, fatores biológicos e sociais do ser humano no contexto da saúde e da doença. 


É necessário entender o contexto da saúde e das doenças e as variáveis dos papéis psicológicos sobre a manutenção da saúde, o desenvolver do quadro da doença e os comportamentos associados à doença. 


O Psicólogo tem como finalidade a sua atuação centrada na prevenção das doenças, contribuir para a melhoria e bem-estar dos indivíduos e das comunidades. 

Pós graduação em
Ludoterapia

ludoterapia.jpg

Atendimento infantil

A Ludoterapia é um conjunto de atividades realizadas no consultório, durante a sessão terapêutica, que conta com as atividades lúdicas e terapêuticas que fazem a mediação entre o mundo simbólico e o mundo real da criança.

A criança, muitas das vezes, se expressa através do lúdico, ou seja, através das brincadeiras. A Ludoterapia conta com o auxilio de vários brinquedos e jogos, que auxiliam a criança na sua fala e em se expressar. 

Desse modo, a criança consegue reconhecer suas emoções e expressar seus sentimentos, aprendendo a nomeá-los, por exemplo: ternura, amor, ódio, raiva, irritação, tensão, insegurança, vergonha, culpa, remorso, compaixão, tristeza, alegria, felicidade, serenidade, alivio, timidez, confusão, medo, perplexidade, aversão, hostilidade, aceitação, incompreensão, desamparo, decepção, desalento, euforia, entusiasmo, expectativa, tédio, melancolia, saudade, solidão, frustração, admiração, inveja, desejo, satisfação, orgulho, prazer e gratidão. 

A caixa lúdica refere-se ao sigilo terapêutico! A criança cria a sua própria caixa lúdica através dos brinquedos, desenhos, etc. Nessa caixa ficam os “pedaçinhos da historia de vida da criança”. Ela pinta a sua caixa, coloca seu nome e fecha com o cadeado, que só ela tem a chave. Ninguém tem autorização de mexer nessa caixa e nem abrir. Isso estabelece vínculo terapêutico de confiança entre a criança e o psicoterapeuta. 

Importa ressaltar, que muitas crianças, que chegam ao consultório e estão vivenciando o reflexo dos conflitos entre os pais. Brigas, discussões, xingamentos, traições, falta de amor, ausência, divórcios, etc. Sendo que muitas das vezes, são diagnosticadas erroneamente por algum médico. 

Na verdade os pais dessa criança, também precisam de terapia, mesmo que estejam separados. Isso é para o bem comum de todos e pela saúde mental e emocional da criança! Afinal, uma criança “problemática” é o reflexo dos problemas dos seus responsáveis e da casa em que reside. 

 

Pós graduação em
Neuropsicologia

com ênfase em Reabilitação Cognitiva

A Pós-graduação em Neuropsicologia com ênfase em Reabilitação Cognitiva tem como principal objetivo o estudo cerebral com as relações, comportamentos e cognições. Isso é fundamental para identificar contextos da reabilitação neuropsicológica e obter o reconhecimento das principais patologias cerebrais.

NEUROPSICOLOGIA COM ÊNFASE EM REABILITAÇÃO COGNITIVA..jpg

O pensamento crítico é desenvolvido para entender as especificações na avaliação neuropsicológica no contexto da Psicologia.

Mas afinal o que é a reabilitação cognitiva? 

É um tratamento que não é medicamentoso e tem como objetivo restaurar ou compensar perdas de funcionalidades causadas por transtornos cognitivos.

Pode ser aplicado em crianças, jovens, adultos e idosos com alguma alteração cognitiva e comportamental, associadas à alterações neurológicas: traumas de crânio, dificuldade de orientação, afasias por AVC ou tumor avançado, quadros de demências, déficit de atenção, concentração ou memória, distúrbios de linguagem, problemas de percepção visoespacial, dificuldade de raciocínio lógico, planejamento, julgamento e processamento de informações, Alzheimer, Parkinson, Demência de Lewy, etc. 

A reabilitação neuropsicológica é um tratamento clinico interdisciplinar! 

O tratamento não visa somente a cognição do paciente, mas também a personalidade, estilo de vida do mesmo e necessidades especificas do paciente e de seus familiares. A família participa para saber dos aspectos emocionais envolvidos durante o processo de reabilitação. O papel da família é fundamental para motivar o paciente a aderir ao tratamento. 


 

whatsapp terapia floral.png